Novidades

AGRISHOW 2015

A grande feira agrícola do Hemisfério Sul

maio 2015

Na última semana de abril a cidade paulista de Ribeirão Preto mais uma vez sediou o Agrishow, uma das maiores mostras de equipamentos agrícolas do Hemisfério Sul, agora em sua 22a edição.

Quase quatro centenas de expositores estiveram presentes, desde fornecedores de balanças para gado até os maiores fabricantes de máquinas do país – tratores, colheitadeiras, pulverizadores – além de uma infinidade de fornecedores de implementos especializados.

Mais de R$ 1,9 bilhão de reais de negócios foram realizados nos cinco dias de feira – volume indicativo da relevância do agronegócio brasileiro, ainda que cerca de 30% inferior ao montante alcançado no ano anterior.

Foram, muitas, importantes e variadas as novidades mostradas na feira: seis tratores agrícolas, um pulverizador, uma colhedora de café, três de cana-de-açúcar e seis colheitadeiras de grãos, além de grande número de implementos embarcados e rebocados, que não serão aqui citados por extrapolar a abrangência de LEXICARBRASIL.

Os principais lançamentos da Agrishow 2015 são mostrados a seguir, em ordem alfabética do nome dos fabricantes (todas as imagens são de autoria e propriedade de LEXICARBRASIL).

 

Budny

A indústria catarinense complementou sua linha de máquinas com mais um trator médio, o modelo BDY 6540, de 2,6 t, equipado com motor MWM de quatro cilindros, 2.940 cm3 e 65 cv, câmbio de oito marchas com reversor e tração nas quatro rodas.

Case

Uma das marcas do gigante CNH, a Case lançou mais um modelo de trator da linha Puma: 230, com motor de 6,7 l e 234 cv. Com 13,0 t, a máquina tem tração nas quatro rodas e caixa 18×6 com acionamento eletro-hidráulico.

19-1 budny       19-2 case

Tratores Budny BDY 6540 e Case Puma 230

 

Jacto

A Jacto apresentou uma inovadora colhedora de café – o modelo K 3500, conversível também para operações de pulverização e poda, viabliizando a utilização da máquina durante todo o ano, mesmo fora do período de colheita. Acionada por motor Cummins de 130 cv com transmissão hidrostática nas quatro rodas, a máquina possui sofisticado conteúdo tecnológico embarcado, raio de giro de apenas 4,74 m e dois reservatórios de 1.500 l para o café colhido.

John Deere

A empresa apresentou três novas máquinas na feira: a colheitadeira de grãos S690 (motor de 13,5 l e 550 cv, tanque graneleiro de 14.100 l); e as colhedoras de cana sobre esteiras CH570 e CH670, respectivamente para uma e duas linhas de plantação (transmissão hidrostática e motor de 9 l e 342 e 380 cv). Para o pulverizador 4730 (245 cv, transmissão hidrostática 4×4, suspensão pneumática) passam a ser oferecidas com opção barras de fibra de carbono de 36 m.

19-3 jacto       19-4 j deere

Colhedora de café Jacto K 3500 e colhedora de cana-de-açúcar John Deere CH670

 

Massey Ferguson

A Massey também mostrou três novas máquinas, porém todas colheitadeiras de grãos, a Série Super 7, compreendendo os modelos axiais 9695, 9795 e 9895, respectivamente com 350, 410 e 470 cv e tanque graneleiro de 10.570 (para a primeira) e 12.334 l (para as duas outras).

New Holland

Assim como a Case, a segunda marca da CNH só trouxe um novo equipamento, a colheitadeira de duplo rotor CR8090, com motor FPT de 489 cv e tanque de grãos de 14.500 l.

19-5 massey       19-6 nh

Colheitadeiras de grãos Massey 9695 e New Holland CR8090

 

Stara

O tradicional fabricante gaúcho de implementos e pulverizadores enriqueceu sua recente gama de tratores com dois novos modelos: ST MAX 150 e 180, com 7,1 t, câmbio de 54 marchas à frente e 18 a ré e tração 4×4 com engate eletro-hidráulico do eixo dianteiro; os dois se diferenciam pela potência do motor MWM – 150 e 180 cv.

Valtra

A Valtra foi quem trouxe mais novidades para a feira: os tratores 4×4 BM110 e 125i (motor de 4,4 l, 125 ou 132 cv, caixa de 16 marchas à frente e 8 a ré), a colheitadeira de grãos BC6800 (350 cv e tanque de grãos de 10.570 l) e sua primeira colhedora de cana-de-açúcar, o modelo BE 1035e, com 350 cv.

19-7 stara       19-8 valtra

Trator Stara ST MAX 180 e colhedora de cana Valtra BE 1035e

 

A maioria dos fabricantes nacionais de automóveis e caminhões aproveitaram o evento para divulgar seus produtos em stands próprios. Entre eles, se destacaram a Renault, que numa pronta reação ao lançamento do Jeep Renegade buscou valorizar a aptidão de seu modelo Duster 4×4 para uso em condições extremas de terreno, e a Chevrolet, que surpreendentemente apresentou um modelo conceitual sobre a picape S10.

19-9 renault       19-10 chevrolet

Renault Duster 4×4 e conceito S10 Rally





Google GmailFacebookTwitter

FETRANSRIO

A grande mostra de ônibus do Rio de Janeiro

novembro 2014

No início de novembro ocorreu a décima edição da Fetransrio, a mostra carioca da indústria de ônibus. Evento que acontece a cada dois anos, em alternância com a feira paulista Transpúblico, é espaço próprio para a apresentação das novidades do ano em chassis, carrocerias e equipamentos para o transporte público.

Exposição prioritariamente voltada para o transporte urbano, nela diversos fabricantes aproveitam a oportunidade para apresentar, pela primeira vez em um evento público, seus lançamentos mais recentes. Mas, como é de regra, aFetransrio também reserva algumas surpresas – neste ano, pelo menos uma delas imprevista: o chassi médio da Iveco. Somente Volvo, Scania e Marcopolo não trouxeram nada de novo para a mostra.

Igualmente inesperada foi a presença da chinesa Byd, com importante stand, onde exibiu o ônibus elétrico de piso baixo a bateria que a empresa se propõe a montar no país a partir do início do próximo ano.

No segmento de carrocerias, a Caio lançou a sexta geração do urbano Apache Vip para chassis convencionais. Com frente e traseira redesenhadas, o veículo traz novos conjuntos óticos com luzes de posição de leds e janela do motorista com formato simplificado, agora retangular. A paranaense Comil mostrou a reestilização do Campione 3.25, para fretamento e transporte intermunicipal, preparado para chassis com motor dianteiro. Acompanhando o design do modelo Versatile Gold, o ônibus teve o interior renovado, com maior largura do corredor e iluminação interna por leds.

 

2-1     2-2

Caio Apache Vip VI e Comil Campione 3.25

 

A Irizar mostrou o rodoviário i6 Plus, com 14 m de comprimento. Montado sobre chassis 6×2 de diversos fornecedores, apresenta bagageiros com até 20,8 m3 (capacidade variável em função do chassi utilizado), volume quase 20% superior à do modelo i6. Tal acréscimo foi obtido graças a ajustes dimensionais da estrutura do veículo, permitindo aumentar em 14 cm o vão interno do compartimento de bagagem, sem prejuízo da altura total da carroceria e do corredor central.

 

2-3

Irizar i6 Plus

 

A Mascarello mostrou apenas a atualização estilística da linha urbana Gran Via. A Neobus, por sua vez, lançou a carroceria para fretamento e transporte rodoviário de curta distância N10-340, da família de rodoviários New Road, bem resolvido projeto criado a partir dos modelos N10-360 e 380.

 

2-5     2-6

Mascarello Gran Via e duas versões da linha New Road, da Neobus: o lançamento N-10 340 (à esquerda) e o N-10 380

 

A grande novidade da feira foi proporcionada pela Iveco, que apresentou seu primeiro chassi médio nacional – 170S28 -, nas versões Urbano e Fretamento. De concepção totalmente convencional – formato que tanto atrai o operador médio brasileiro – possui quadro com longarinas com perfil em U, motor dianteiro FPT (6 cilindros, 6,7 l e 280 cv), câmbio manual de seis marchas, suspensão por molas semielípticas (opcionalmente parabólicas) e freios pneumáticos a tambor com duplo circuito. A versão Fretamento se diferencia da urbana pela menor redução do diferencial e pela suspensão – por molas parabólicas (opcionalmente semielípticas). Ambos possuem 5,95 m de distância entre eixos e comprimento total de 11,50 m.

 

2-4

Iveco 160S28, na versão Fretamento

 

Ainda no segmento de chassis, a Mercedes-Benz mostrou três novidades: um convencional e dois modernos modelos pesados para transporte rodoviário. O primeiro – OF-1724 -, com motor dianteiro de 238 cv, é o primeiro chassi convencional da marca a receber transmissão automatizada (há dois anos a Volkswagen já dispõe de versão equivalente em produção). Os dois outros são O-500 RSD 2441 6×2 (potencialização do modelo existente 2436) e O-500 RSDD 2741 8×2, com dois eixos direcionais. Ambos possuem motor de seis cilindros, 12 litros e 408 cv, câmbio automatizado de oito marchas com retarder, freios a disco com ABS e sistema de controle de estabilidade. Fornecidos em formato buggy com 3,00 m de entre-eixos, podem receber carrocerias de dois pisos e entrada baixa com até 14 metros de comprimento. A Mercedes-Benz expôs, ainda, seu motor flex (6 cilindros e 7,2 l), capaz de operar com diesel e GNV.

 

2-7     2-8

Chassis Mercedes-Benz OF-1724 e O-500 RSDD 2741 8×4

 

A MAN, por fim, lançou o primeiro chassi de micro-ônibus com piso baixo do país, uma variante do Volkswagen 9.160 OD com suspensão pneumática, câmbio automatizado e motor Cummins de 3,8 l e 160 cv. Apresentado com 5,00 m de entre-eixos, pode receber carrocerias de até 9,00 m de comprimento.





Google GmailFacebookTwitter
1 2 3 4