Novidades

KICKS

O pequeno SUV Nissan já é nacional

maio 2017

Lançado mundialmente do Brasil, durante os Jogos Olímpicos de 2016, o SUV Nissan Kicks acaba de receber nacionalidade brasileira.

Co-patrocinadora das Olimpíadas e das Paralimpíadas, a empresa aproveitou a projeção planetária dos dois eventos para divulgar o novo carro, já com decisão declarada de, a curto prazo, também fabricá-lo no Brasil. Inicialmente importado do México (somente na versão topo de linha SL), o pequeno SUV causou muito boa impressão, receptividade repercutida pelas opiniões da imprensa especializada e pelos resultados favoráveis dos testes comparativos efetuados com modelos concorrentes. Para coroar seu início de carreira, o carro recebeu nota A nos testes de consumo do Inmetro.

Montadas na fábrica de Resende, no Estado do Rio de Janeiro, as primeiras unidades para testes ficaram prontas em janeiro deste ano. No mês de abril foi iniciada a produção seriada e, em 19 de maio, comunicado oficial da Nissan anunciou: “Kicks produzido no Brasil pronto para chegar às lojas“. Quatro versões foram anunciadas: S (com câmbio manual), SV, SL (ambas com transmissão automática CVT) e a inédita PcD, para táxis e passageiros com dificuldade de locomoção.

Projetado no Brasil, externamente o carro se destaca pela pintura bicolor – em especial o teto laranja metálico da versão de lançamento – e pelas linhas ousadas, distantes dos conservadores sedãs Sentra e Versa. Indicando claramente a que veio, o SUV da Nissan traz exatamente o mesmo comprimento (4,29 m) e a mesma distância entre eixos do Honda HR-V (2,61 m). A propósito, lembremos que o Kicks foi mostrado no Salão do Automóvel de 2014, ainda como modelo conceitual de um “futuro crossover a ser fabricado no país”, mesmo evento em que simultaneamente foram lançados seus concorrentes diretos HR-V e Jeep Renegade.

O Kicks utiliza a plataforma do March e Versa, com entre-eixos um pouco maior, dela adotando a suspensão dianteira McPherson e a traseira por eixo de torção. Motor flex e câmbio automático CVT também vem de seus irmãos brasileiros. O primeiro, montado transversalmente na dianteira, possui 16 válvulas, 1.598 cm3 e novos dutos de admissão e escape, gerando 114 cv, versus os 111 cv atuais. Carro assumidamente para uso urbano, tem tração dianteira, sem planos de opção 4×4. A direção tem assistência elétrica e os freios são a disco na frente e – seu maior pecado – a tambor atrás.

 

     

 

O Kicks chega com ótimo acabamento, rico em itens de segurança e conforto e com conteúdo tecnológico acima da categoria. Dependendo da versão, pode vir com central multimídia com duas telas de 7″, navegador, volante multifuncional com regulagem de profundidade e altura, acendimento automático de faróis, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), bancos e painel revestidos de couro preto, câmera 3600, assistente de partida em rampa, sensor de estacionamento, controles eletrônicos de estabilidade e tração, controle dinâmico do freio-motor, estabilizador ativo da carroceria e alerta de colisão. Todos trazem partida por botão, ar condicionado digital, cinto de segurança de três pontos e apoio para cabeça nos cinco lugares. A versão mais cara SL tem, como únicos opcionais, pintura metálica, teto laranja e revestimento interno na cor bege.

Diversos opcionais estão disponíveis, tais como ponteira de escapamento, protetor de cárter, moldura para para-choques, calha de chuva, aerofólio, spoilers, rack e bagageiro de teto.

Com cinco portas, o novo Nissan tem porta-malas com 432 litros de capacidade, 20 cm de vão livre do solo e o menor peso da categoria.

 

 

 





Google GmailFacebookTwitter

UP! 2018

Pequeno Volkswagen passa por sua primeira revisão estética

abril 2017

Lançado no início de 2014 com atualizadíssima concepção, o pequeno carro da Volkswagen acaba de receber a primeira revisão estética. Apresentado como modelo “de entrada” pela marca, não recebeu a merecida atenção do público comprador. Talvez devido ao seu estilo discreto e limpo, sem espalhafatos ou qualquer concessão estética, o up! chegou ao final de 2016 apenas na 13a posição entre os automóveis mais vendidos do país. Nem mesmo a adoção do maravilhoso motor turbo TSI em maio de 2015 atraiu o comprador para esse carro tão interessante, elegante em suas linhas puras e racionais, muito distante do que mostra a média do mercado.

Talvez daí mesmo tenha vindo a motivação da Volkswagen para mexer no estilo de um modelo de lançamento tão recente, introduzindo pequenas mudanças externas, desnecessárias, mas que certamente chamarão mais atenção para o carrinho. A segunda estratégia assumida pelo fabricante foi dar uma “promoção” ao modelo, realinhando preços e versões de modo a deslocá-lo do posto de carro “de entrada” (que passa a pertencer ao Gol) para “compacto premium”. Aparentemente contraditória, a decisão deverá dar frutos, já que, segundo a mentalidade média do comprador brasileiro, com as modificações o up! terá deixado de parecer “um carro pobre” – ou, em última instância, “um carro de pobre”.

 

     

take up! e move up!, as duas únicas opções com motor aspirado na linha up! 2018.

 

A reorganização da gama levou à retirada de linha do modelo de três portas e das versões black up!, red up!, white up!, speed up! e Track. Em paralelo, as versões cross up! e high up! passaram a ser equipadas somente com motor turbo TSI (take up! e move up! permanecem com motor aspirado, o último também com opção TSI). Nada foi alterado na mecânica.

O estilo segue o modelo europeu, lançado no ano passado. O carro vem com novos para-choques, agora comuns a todas as versões (com eles, o comprimento total aumentou 84 mm, 72 dos quais no balanço dianteiro). Também mudaram os faróis, agora mais afilados, as lentes das lanternas traseiras (com novo padrão) e o desenho das calotas e das rodas de liga. O vão entre o capô e o para-choque dianteiro, correspondente à grade, ficou mais largo e recebeu um ou dois frisos, dependendo da versão.

Internamente, toda a família ganhou novo volante multifuncional, painel parcialmente redesenhado, quadro de instrumentos iluminado a leds e conta-giros maior e mais legível. O aparelho Maps & More que concentrava as funções de computador de bordo e GPS, antes montado sobre o painel, foi abolido e substituído por um aplicativo para celular. Ao se abrir o aplicativo, a tela do smartphone recebe a tela multimídia (de 5″) do sistema de áudio, reproduzindo os ícones dos recursos disponíveis: GPS, monitoramento de condução econômica, computador de bordo, réplica do conta-giros e do termômetro de água e registros pessoais (contatos, endereços, etc.).

 

     

cross up! 2018.

 

Visualmente, a principal diferenciação entre as cinco versões se dá na parte central do para-choque dianteiro: na cor da carroceria para os carros com motor aspirado (take up! e move up!); prata para o cross up!; e preto para as versões TSI (inclusive move up!). Também diferentes, em função da versão, são a tampa traseira (pintada de preto nos carros turbo, inclusive cross up!); os filetes na grade (um preto no take up!; cromado no move up! aspirado e no cross up!; e dois, um deles vermelho, nas demais versões TSI); e o friso cromado na borda inferior da tampa traseira (no cross up! e high up!).

Comemorando a apresentação da linha 2018 a Volkswagen lançou a série especial Connect. Tomando por base o move up!, traz itens inéditos no modelo, tais como faróis de neblina acompanhando as curvas, sensores de chuva e faróis e opção de teto e retrovisores na cor preta.

 

Série especial move up! connect.

 

 

 





Google GmailFacebookTwitter
1 2 3 4 5 20