KWID

Na primeira semana de junho a Renault deu início à campanha de lançamento de mais um modelo – o pequeno Kwid.

Não se atemorizando com a persistente crise por que passa o país, a empresa dá continuidade à sua (muito bem-sucedida) estratégia de conquista de espaço. Num ambiente de competição cada vez mais acirrada, a Renault agora busca se expandir na faixa inferior do mercado, trazendo um veículo moderno e barato.

Assim, ao mesmo tempo que divulgava as primeiras imagens oficiais do modelo e se preparava para lançá-lo, ainda em junho, no Salão do Automóvel de Buenos Aires, abriu o programa de pré-vendas, devidamente apoiado por uma campanha de marketing simpática e criativa, incluindo irreverentes e bem-humorados esquetes de propaganda inseridos na internet e televisão, brincando com o inusitado nome dado ao carro.

Apesar da pretensão de ser O SUV dos Compactos, como anunciado, o Kwid é “apenas” um pequeno hatch, do porte do Volkswagen up!, com posição de dirigir mais alta, ares de utilitário esportivo, vão livre maior do que o usual (18 cm), e bons ângulos de entrada e de saída (respectivamente 24 e 400) – o que não é pouco, convenhamos.

Seu maior apelo, contudo, estará no preço. Com acabamento interno simples mas bem cuidado, foi cotado em R$ 29.990 na versão básica, tornando-se o automóvel mais barato fabricado no Brasil – com o mesmo preço do simplório Chery QQ.

Comercializado na Índia desde 2015, o Kwid foi exposto no Salão de São Paulo, em novembro de 2016, em versão conceitual. O modelo agora chega equipado com o novo motor SCe flex de três cilindros, 12 válvulas e 999 cm3 – o mesmo do Logan e Sandero, porém sem duplo comando de válvulas de abertura variável, o que limita sua a potência a 66/70 cv. Traz câmbio manual de cinco marchas, suspensão dianteira McPherson e traseira por eixo de torção e freios a disco na frente e a tambor atrás. Motor e tração são dianteiros.

 

     

Renault Kwid Intense.

 

São três as versões de conteúdo e acabamento. Já a básica Life vem com airbags frontais e laterais, bancos dianteiros com apoio fixo para a cabeça, cintos com ajuste de altura, espelho de cortesia para o passageiro, abertura interna do porta-malas, rodas de aço de 14″, freios ABS com EBD e, ao estilo SUV, apliques de plástico preto nos arcos das rodas.

A versão intermediária Zen ganha direção com assistência elétrica, trava de portas e vidros dianteiros elétricos com comando no painel, limpador do vidro traseiro, revestimento interno do porta-malas e adesivo decorativo na base das portas. A superior Intense (R$ 39.990) traz ainda retrovisores e maçanetas na cor da carroceria (pretos nas outras versões), grade com detalhes cromados, retrovisores e abertura do porta-malas elétricos, faróis de neblina, calotas especiais na cor grafite, volante e estofamento personalizados e sistema multimídia com tela de 7″ sensível ao toque, áudio, navegador e câmera de ré (alguns destes itens só estão disponíveis no pacote Connect).

Com cinco portas e cinco lugares (quatro, na prática), o Kwid tem 3,68 m de comprimento, 2,42 de distância entre eixos (a mesma do up!) e porta-malas com capacidade para 290 litros – o maior da categoria.

 

 

 

 

 

Google GmailFacebookTwitter




Google GmailFacebookTwitter